domingo, 1 de fevereiro de 2009

O FUTURO DA HUMANIDADE

O FUTURO DA HUMANIDADE

Senhor Deus, pai do universo
Peço agora, com humildade
Que ilumine minha mente
E me dê a faculdade
Pra falar, sobre o futuro
De toda a humanidade

É um assunto complexo
E a Futurologia
Pra embasar seu fundamento
Faz uso da Astrologia
Mas muitos não a respeitam
E não veem nela valia

Já a ciência acadêmica
Se apoia na Astronomia
Nos estudos de impacto
Da famosa Ecologia
E nos dados estatísticos
Da real Economia

Quem apela ao misticismo
Busca nele um alento
Que consiga dar resposta
Sobre tantos sofrimentos
Que acomete a raça humana
Do passado até o momento

A ciência, mais centrada
Usando a realidade
Faz alerta a todos nós
Mostrando toda a verdade
De um futuro sombrio
Para toda a humanidade

Discute-se muito hoje
O impacto ambiental
Causado pelos detritos
De uma forma geral
Que já mostra seu efeito
No aquecimento global

Regiões, um dia úmidas
Hoje sofrem ressecadas
Tendo como um malefício
O aumento das queimadas
Proliferam-se desertos
Em terras antes alagadas

As geleiras milenares
Somem no derretimento
Elevando nossos mares
Sem nenhum impedimento
Já vemos refugiados
Choramingando em lamento

Algumas ilhas do Pacífico
Vão desaparecer
Deixando sua nação
Sem saber o que fazer
Não tendo onde pisar
E nem lugar pra viver

Ao mesmo tempo as cidades
Sedentas pela madeira
Promovem a derrubada
De jatobás, aroeiras
Jequitibás, ipês roxos
Cedros... castanheiras

Um cidadão “preocupado”
Sentado em sua cadeira
Assiste à destruição
De uma área inteira
Ao mesmo tempo em que queima
A mata em sua lareira

Em alguma cidade grande
Caminha um cidadão
Que devora um biscoito
E, ao terminar a refeição
Sem nenhuma cerimônia
Joga o saco no chão

Logo ali perto do rio
Uma indústria legal
Lança todos os seus detritos
De uma forma ilegal
E polui o curso d’água
Com resíduo industrial

Uma nação poderosa
Não tendo onde deixar
“Exporta” às nações pobres
O seu lixo nuclear
Transferindo todo o mal
Para longe do seu lar

Empresas do ramo bélico
Visando vender bem mais
Faz lobby pelos congressos
Em detrimento da paz
Promovendo grandes guerras
Sob falsos ideais

O petróleo, sangue negro
É um mal pra humanidade
Emporcalha nosso mundo
E espalha a maldade
Promovida por facínoras
A mando da crueldade

A extração de metais
Causam chagas nas montanhas
Expondo o frágil solo
Que compõe suas entranhas
Deixando tudo esquisito
E as paisagens estranhas

A humanidade cresce
De forma desproporcional
Enquanto que os alimentos
Têm produção desigual
Prenunciando a fome
Em escala mundial

O casal da nação rica
Não quer mais procriar
Com isso, a população
Já não pode renovar
Se não há renovação
Quem é que vai trabalhar?

O casal da nação pobre
Continua a procriar
Quando crescem, os filhos vão
À nação rica trabalhar
Mas os ricos não aceitam
E eles têm que voltar!

Em busca de melhor vida
O homem, inconseqüente
Não se preocupa com o mundo
Que já se mostra doente
Ainda terá saída
Para este paciente?

Eu me sinto à vontade
Para acreditar que sim
Só depende de nós mesmos
Para que o mundo enfim
Recupere-se das chagas
E não caminhe para o fim

Devemos curar o mundo
Das suas enfermidades
Sanando os seus problemas
E todas as calamidades
Pois, se não houver a Terra
Não haverá humanidade

Nossa espécie hoje carece
De dar à vida mais valor
Não fazer nada que seja
Um motivo para dor
E que a maior motivação
Seja apenas o amor

Deve ter a consciência
Que a guerra é maldição
Pois espalha só o ódio
E envenena o coração
A paz deve ser o lema
De toda e qualquer nação

Os recursos naturais
Não devem ser saqueados
Se usados na medida
Nunca serão esgotados
Devemos compromissar
Pra que sejam reciclados

Também nossas idéias
Carecem renovação
E que a Democracia
Seja sempre a missão
De todos os governantes
Que têm Deus no coração

Mas deixo aqui bem claro
Que, ao citar Democracia
Não refiro-me a esta ai...
Que é mais demagogia
Estou falando de uma idéia
Muito boa e sadia

Um modelo de governo
Que há no mundo animal
Onde cada indivíduo
Cumpre a função ideal
Devido à capacidade
Que lhe é natural

Vejamos uma colmeia
Mais parece uma cidade
Ali cada indivíduo
Tem uma prioridade
Todos trabalham pra todos
Em prol da sociedade

Mesma coisa acontece
Com as pequenas formiguinhas
Que vivem em harmonia
Sendo bem pequenininhas
Devemos tirar lição
Das boas criaturinhas

O futuro da humanidade
Está em todos nós
Poderá ser muito bom
Ou ser um destino atroz
Gritemos pela alegria
E a paz, numa só voz

A esperança está na criança
Que nasce e não tem maldade
Está nos animaizinhos
Que vivem em sociedade
Está nas letras Daquele
Que só nos trouxe bondade

Também está em você
Que torce pela igualdade
Que luta pra que o mundo
Seja só felicidade
Sigamos juntos irmãos
Neste intento, de verdade


Isaías Gresmés 31/01/2009

3 comentários:

  1. Devemos sempre pensar muito, antes de tomar alguma atitude que possa comprometer algo, ainda
    mais ser for uma pessoa, uma sociedade, uma espécie, um universo. Temos sempre que nos lembrar que o futuro é consequência do hoje, e isso é muito bem explicado nessa bela poesia, compromisso é coisa séria, com cuidado e responsabilidade se torna gratificante, meus parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Puxa, vida! Isaías, no meu ponto de vista, você foi excelente nesta obra "O FUTURO DA HUMANIDADE"! Conteúdo, nota dez! Ótimos versos, muito bem rimados, bem ritmados, enfim, não o vejo de outra forma, para mim, você foi nota máxima!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela bela inspiração.

    ResponderExcluir

Eu, desde já agradeço a você, nobre amigo(a), pela presença aqui. Fique à vontade quanto ao seu comentário.